16 de jan de 2007

Vícios ao volante aumentam gastos com o carro

Você sabia que a sua maneira de dirigir pode influenciar na durabilidade de muitos componentes do seu carro? Incorporados ao cotidiano dos motoristas, os vícios ao volante são difíceis de se corrigir, mas não impossíveis. Confira abaixo quais são os principais e o que você pode fazer para evitar.
- Dirigir com o pé constantemente apoiado na embreagem – este é um dos vícios mais comuns e também difíceis de se combater. Como temos que mudar de marcha muitas vezes no trânsito urbano, acabamos por nem tirar o pé do pedal da embreagem. Porém, este ato reduz a vida útil do disco de embreagem. O ideal é sempre depois de uma mudança de marcha colocar o pé na lateral esquerda do pedal e deixá-lo lá até a próxima mudança de marcha;
- Dirigir com a mão sobre o câmbio – esta mania também vem do fato de precisarmos trocar de marcha o tempo todo, mas deve ser evitada porque diminui a vida útil das engrenagens da transmissão. Outro bom motivo para combater este vício é a segurança, já que devemos sempre dirigir com as duas mãos no volante;
- Esquecer de calibrar os pneus – o ideal é calibrar toda semana, mas a maioria dos motoristas esquece ou tem preguiça e acaba calibrando somente antes de viagens. Saiba que rodando com os pneus murchos seu carro tem o desempenho prejudicado e consome mais combustível, além dos pneus sofrerem desgaste irregular. A melhor maneira de lembrar é começar a calibrar toda vez que for ao posto colocar combustível. Se não quer sujar as mãos, peça ao frentista e lhe dê uma gorjeta;
- Passar freando em lombadas ou buracos – é comum, ao sermos pegas de surpresa por um buraco, frearmos e passarmos freando por ele, porém este hábito sobrecarrega a suspensão, podendo chegar a quebrá-la. Isso ocorre porque ao frear você joga todo o peso do carro na suspensão. Neste caso é melhor passar com um pouco mais de velocidade pelo obstáculo do que freando;
- Andar com o carro em ponto morto – pensando em economizar, muitas pessoas colocam o carro em ponto morto durante descidas. Porém, em veículos com injeção eletrônica, esta prática, ao contrário do que se pensa, aumenta o consumo do veículo. Outra conseqüência é um desgaste maior do sistema de freios. A solução para este caso é descer controlando a velocidade do carro através do freio motor, ou seja, sempre com a marcha engatada;
- Andar com o tanque na reserva – muita gente faz isso, seja por preguiça de ir ao posto ou porque está sem grana no momento. O problema deste hábito é que a gasolina que fica no fundo do tanque possui muitos resíduos, que ao longo do tempo podem trazer dois problemas: o entupimento dos bicos injetores e o funcionamento irregular do carburador. Para evitar estes prejuízos, acostume-se a completar o tanque sempre que ele estiver em um quarto;
- Sair em segunda marcha – esta prática é muito comum entre os distraídos, que, parados no sinal, esquecem de trocar a marcha e acabam saindo em segunda e até terceira, causando um desgaste prematuro de alguns componentes da embreagem. Se você tem este hábito, comece a se policiar deixando o carro em ponto morto assim que parar.
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ô, manolo !
Faça comentários relativos ao post. Ok?