8 de out de 2006

Paparazzo de Cicarelli cobra "ética" da mídia

Parece brincadeira, mas quem anda reclamando da ética da imprensa por causa do polêmico vídeo de Daniela Cicarelli e seu namorado em uma praia espanhola é o paparazzo espanhol Miguel Temprano, 42, autor da filmagem.
Para muitos, ele é o vilão que estragou o que seria um dia de paixão explícita na praia de Tarifa, sul da Espanha, perto do Estreito de Gibraltar.
O paparazzo se diz desgostoso com a falta de ética dos meios brasileiros que "não pagaram pelo que exibiram".
Enquanto Daniela Cicarelli pediu que todos cuidassem de sua vida e a deixassem em paz (e anuncia processos milionários), Temprano se sente injustiçado e também pretende ganhar seu dinheirinho.
"Estou muito bravo com os meios de comunicação brasileiros, que não agiram eticamente", disse Temprano à Folha, de Madri, onde vive. "Aquelas imagens são fruto de muito suor, de trabalho honrado. Não pagaram por essas imagens, isso é roubo!"
Temprano acusa a mídia brasileira de "pirataria". Sobram também ataques ao YouTube. Como os barões da música que atacavam o MP3, o fotógrafo diz que o YouTube é "100% ilegal". "Eles usam as imagens sem nenhum copyright. Vou denunciá-los, eles terão que me pagar direitos de autor."
Temprano se recusa a falar do dia em que filmou Cicarelli, da ética do seu trabalho ou mesmo de detalhes mais picantes. "Não posso falar enquanto não for pago." Como não é de ferro, diz que "dará uma entrevista superdivertida" a quem pagar pelas fotos. Não admite ser confundido com um vigarista. "Não sou um paparazzo qualquer, sou formado, tenho diploma, sou jornalista!"
Uma colega do fotógrafo não resistiu e conta mais detalhes sobre o episódio. "Temprano ficou na praia vários dias. Ele já tinha feito imagens dela e até perguntado para a Cicarelli o nome de seu novo namorado. Ela sabia que tinha paparazzi lá", revela Gema López, uma das fofoqueiras mais famosas da Espanha, apresentadora do programa "Donde Estás, Corazón", sobre celebridades.
Para Gema, Cicarelli foi "imprudente". "Ela estava em uma praia pública, freqüentada por fotógrafos, e ainda assim ficou no "toqueteo"."
"O nome dela na Espanha sempre esteve ligado a escândalo. Primeiro aquele casamento ostentoso, que não foi bem um casamento. Depois, aquela separação. E agora o showzinho na praia", conta.

Tudo pelo social
Para mostrar que é um paparazzo de bom coração, Temprano diz que seus futuros processos contra a imprensa brasileira não são movidos por sede de mais dinheiro.
"Ganho muito aqui na Espanha, vivo bem." Ele promete doar tudo que receber dos seus direitos de imagem a uma organização não-governamental. "Podem escolher alguma ligada à Amazônia, às crianças das favelas, aos ianomâmis. Não quero deixar o dinheiro para as multinacionais, ou para engravatados dos meios de comunicação." Justiça de paparazzi.
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ô, manolo !
Faça comentários relativos ao post. Ok?