23 de nov de 2006

Nove em cada dez adolescentes ligados ao tráfico estão fora da escola, diz pesquisa

Brasília - Apenas 7% dos jovens envolvidos com o narcotráfico mantém seus estudos, segundo pesquisa divulgada hoje (23) pelo Observatório de Favelas. Grande parte deles desistiu de estudar entre os 11 e 15 anos, mesma faixa etária em que a maioria entrou para o tráfico. Mais da metade tem Carteira de Trabalho, o que, para o Observatório de Favelas, revela a expectativa desses jovens de conseguir um trabalho formal.

De acordo com a pesquisa, mais da metade dos entrevistados já foram detidos, mas apenas 28,3% foram levados para alguma instituição pública. 54,3% deles disseram já ter sido extorquidos uma vez ou mais por policias e 73% indicaram que já sofreram agressões desses mesmos agentes. Dos 230 jovens entrevistados, 45 morreram ao longo da pesquisa, sendo que 64,4% foram mortos por policiais.

A pesquisa “Caminhada de crianças, adolescentes e jovens na rede do tráfico de drogas no varejo do Rio de Janeiro” foi divulgada hoje (23) pelo Observatório de Favelas, organização da sociedade civil sediada na Favela da Maré. A pesquisa durou dois anos e investigou a trajetória de 230 jovens, com idades entre 11 e 24 anos, envolvidos com o tráfico de drogas em 34 comunidades distribuídas nas Zonas Norte, Sul, Oeste e Leopoldina. Foi realizado em parceria com o Fundo das Nações Unidas para Infância (Unicef), a Organização Internacional do Trabalho (OIT) e outras instituições.

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ô, manolo !
Faça comentários relativos ao post. Ok?